segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mário Quintana

Fiquei muito tempo sem quase ler poesia. Anos.Ficava impaciente pra me concentrar em textos tão densos e freqüentemente curtos. Não estava com concentração para tanto. O óbvio: para cada momento da vida, um tipo de leitura.E recentemente voltou o tempo pra poesia. Pra (re)começar, Mário Quintana (influência de uma amiga querida, que de tanto gostar do Mário é chamada de Beta Quintana). Hoje comecei a ler o Nova Antologia Poética, coletânea organizada pelo próprio Mário em 1985. Ainda não terminei (até pra apreciar melhor), mas já dá pra citar 4 poemas que adorei:
A CONSTRUÇÃO
Eles ergueram a torre de Babel para escalar o Céu. Mas Deus não estava lá! Estava ali mesmo, entre eles,ajudando a construir a torre.
DO ETERNO MISTÉRIO
"Um outro mundo existe.., uma outra vida..."
Mas de que serve ires para lá?
Bem como aqui, tu'alma atônita e perdida
Nada compreenderá...
 PEQUENO POEMA DIDÁTICO
O tempo é indivisível. Dize,
Qual o sentido do calendário?
Tombam as folhas e fica a árvore,
Contra o vento incerto e vário.

A vida é indivisível. Mesmo
A que se julga mais dispersa
E pertence a um eterno diálogo
A mais inconseqüente conversa

Todos os poemas são um mesmo poema,
Todos os porres são o mesmo porre,
Não é de uma vez que se morre...
Todas as horas são horas extremas!


4 comentários:

betaquintana disse...

Alinde,
Sempre é tempo de poesia, sobretudo, a do meu Mario. Na verdade, a poesia é especialmente eficaz em momento em que a paciência esgotou, que parece terem colocado o mundo nas nossas costas...o poema é sempre para esquecer e respirar, como uma janela aberta no meio do inferno. Espero que vc aproveite muito o meu MArio e faça dele seu companheiro constante de viagem.
bjs
Da própria...Beta Quintana

marcelo disse...

prefiro alvares =p

Mi Müller disse...

Oi moça... eu simplemente amo Quintana! É meu companheiro de cabeceira, de viagem, de insônia, de espera, de todas as horas... Eu comecei a ler um pocket (Ora bolas, o humor de Mário Quintana) que tem várias histórias sobre ele, é tão lindo, doce e querido... só podia ser poeta mesmo... Falo com todo orgulho do mundo que tenho a obra completa dele. Sempre tenho uns 3 ou 4 pockets dele para dar de presente, é trabalho missionário :D
Afff isso aqui virou sei lá o que, um capítulo de livro rsrsrsrs
Pequeno Poema Didático também é um dos meus prediletos!
estrelinhas coloridas...

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Alinde.
São belos poemas, de verdade.

Poemas são tão ricos, a gente analisa as palavras, métrica, estilo... e se encanta. Que legal vc curtir de novo poesia. bjos e bom dia pra vc